22.9.09

Lançamento de "A moeda do tempo", de Gastão Cruz




O belíssimo livro A moeda do tempo, do poeta Gastão Cruz, será lançado no dia 25, sexta-feira, às 18 horas, na Fundação Casa de Rui Barbosa. Eis o convite:



5 comentários:

betina moraes disse...

observador,


divulgarei!


abraços!

Domingos da Mota disse...

Caro Antonio Cícero,

Com a devida vénia, aqui deixo um poema do livro "A Moeda do Tempo" de Gastão Cruz, aqui anunciado:

RAMO

Talvez eu não consiga quanto amo
ou amei teu ser dizer, talvez
como num mar que tu não vês
o meu corpo submerso seja o ramo
final que estendo já não sei a quem

Andre Rebelo disse...

Boa tarde! Eu coloquei áudio em sua Prole. ;D http://andrerebelo.tumblr.com/page/5

paulinho (paulo sabino) disse...

oba!

dá pra eu passar na casa de rui barbosa quando estiver voltando do trabalho, perfeito!!

beijo!!

valeu a divulgação, cicero!!

Anônimo disse...

assunto: YieeepieeeS

Cicero,

tenho andado perdida, mas agora voltei (e já vi que tenho muito para ler).

um. junto-me ao Domingos e deixo um soneto do livro do Gastão e um "Yieeepieee!" comemorativo da edição transatlântica..
e mais:
dois. o Cinemateca é finalista do prémio de literatura PT - claro que isso já sabias - mas é esse o outro "Yieeepieee!" deste post.

setembro é um mês lindo!

abraço,
F.


RELATÓRIO EM FORMA FECHADA

Os estragos da noite foram vastos,
inversos ao pulsar da primavera:
há tempo em que se luta pelos gastos
rastos da vida e o tempo novo gera

desilusão somente, esse viscoso
correr da insónia como se já água
as lágrimas não fossem e no fosso
há pouco aberto qualquer outra água

de natureza opaca suspendesse
a sua interminável queda; voltas
por fim à noite espessa que já tece
a madrugada com as linhas soltas

da minha vida, versos que transformam
em realidade as sílabas que os formam

in A Moeda do Tempo, de Gastão Cruz, Assírio & Alvim, 2006