15.1.14




Eis o vídeo da conferência sobre "O contemporâneo e o moderno", que, a convite do Professor João Camillo Penna, pronunciei no Colóquio do Contemporâneo, por ele organizado, em novembro do ano passado, na UFRJ. A meu lado encontra-se o Professor Alberto Pucheu, que foi quem me recebeu e apresentou aos ouvintes.


6 comentários:

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,

totalmente demais! Bravo!


Abraço forte,
Adriano Nunes

Flavio disse...

Olá, Cícero!
Obrigado por compartilhar.
O finalzinho parece cortado. Por acaso houve debate?

Antonio Cicero disse...

Flavio,

não houve propriamente debate, mas uma série de perguntas e respostas. Elas não foram cortadas por mim, mas nenhuma pergunta ou resposta foi incluída em nenhum dos vídeos dessa série de conferências postadas no YouTube: provavelmente porque os tornariam longos demais.

Marcio Renato disse...

Cícero, muito de sua fala retoma "O Mundo desde o Fim", afora um ou outro ensio de de "Finalidade sem Fim" — estou certo? Pena este espaço ser tão restrito (eu teria muitas perguntas a respeito, também me interesso muito por essas questões). De qualquer modo, obrigado por disponibilizar o vídeo. Abraço, Marcio.

Antonio Cicero disse...

É verdade, Marcio Renato. Retomei algumas coisas de "O mundo desde o fim" porque esse livro, tendo sido publicado por um desconhecido no establishment intelectual brasileiro, foi muito pouco lido e comentado. Fico contente de você o conhecer.

De todo modo, retomo a questão da modernidade por um ângulo um pouco diferente.

Gabriela disse...

Olá, Cícero. Gosto muito do que escreves e de ouví-lo. Se compreendi bem, falas nessa conferência sobre valor cognitivo e valor estético como qualidades independentes nos objetos artísticos. Penso que um dos legados das vanguardas históricas é justamente a impossibilidade dessa separação.
Um forte abraço,
Gabriela