20.9.11

Carlos de Oliveira: "Lavoisier"




Lavoisier

Na poesia,
natureza variável
das palavras,
nada se perde
ou cria,
tudo se transforma:
cada poema,
no seu perfil
incerto
e caligráfico,
já sonha
outra forma.



OLIVEIRA, Carlos de. Sobre o lado esquerdo. Lisboa: Iniciativas Editoriais, 1968.

5 comentários:

prosaempoema disse...

Coisa LINDA!

AMEI!

Como sempre, sempre DELICIOSO o "Acontecimentos".

Beijoca boa, meu poetósofo de primeiríssima linha!

Anderson Lucarezi disse...

teu blog tem sempre coisas interessantes, cicero.

ficamos sempre aqui "esperando acontecimentos" no site.

saudações,

anderson.

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,


Lindo!!!


Abração,
Adriano Nunes

João Renato disse...

Por coincidência, li hoje o "O que se diz ao editor a propósito de poemas", do João Cabral.
E lá, ele diz: "Um poema é o que há de mais instável:...", e fala que a solução é "Só o mumificá-lo, pô-lo em livro".
Abraço,
JR

Felipe Garcia disse...

Interessante o poema - embora eu não acredite que um conceito em verso seja melhor do que um conceito em prosa.