12.5.09

Alexander Pope, Matthew Prior ou Samuel Coleridge: "Sir, I admit your general rule" / "Tem razão o senhor quando nota"

.



Tem razão o senhor quando nota
que todo poeta é idiota,
mas quem o conhece completa:
nem todo idiota é poeta.


Outra versão:


Tem razão o senhor, que constata
que todo poeta é pateta;
mas quem o conhece arremata:
nem todo pateta é poeta.



Sir, I admit your general rule
that every poet is a fool:
but you yourself may serve to show it
that every fool is not a poet.


Epigrama atribuído ora a Alexander Pope, ora a Matthew Prior, ora a Samuel Coledrige.

20 comentários:

Aetano disse...

Rsrsrs... Admirável.

Longe de mim querer dizer que se trata da mesma coisa, mas para mim foi impossível não lembrar de "From a letter from Lesbia", de Dorothy Parker - aqui já postado.

Obrigado por mais essa pérola, Cicero.

Abraço.

Aeta.

wellington machado disse...

Variação menor:

Tem razão o senhor, que percebe
que todo poeta é da plebe;
mas quem o conhece já sabe:
nem toda plebe é poeta.


Abraço,
w.m.carvalho
http://esquinasludicas.blogspot.com/

paulo de toledo disse...

Antonio, tb não resisti e tentei uma versão. Ói:

Senhor, admito que tens razão:
todo poeta é um bundão.
Mas o senhor mesmo atesta
que nem todo bundão é poeta.

Abbracci,

Paulo de Toledo

Victor Colonna disse...

Antônio,
Muito bom o poema!
Segue aí um meu!


RODA VIVA (Victor Colonna)


Eu repito o poema
E é sempre outro poema

Eu releio o poema
E sou sempre outro

Eu reescrevo o poema
E o poema sempre me apaga

Eu enlouqueço
E é sempre de novo.

Eu envelheço o poema
E o poema sempre avinagra

Eu bebo
E o poema anda em círculos

Eu amo o poema
E o poema não tem vínculos

Eu me perco
E o poema me acha

Eu termino o poema
E estou sempre no rascunho

O poema nunca termina
Eu é que me acabo.


http://www.deitandooverbo.wordpress.com

ADRIANO NUNES disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Valente disse...

Até concordo... que continue sendo e sendo e mais sendo. Abraço!

Anônimo disse...

Valentes!!!!!!!!!

eu nao arrisco nem rabisco minha version.

abraço

wellington machado disse...

Paulo Toledo e Adriano Nunes, gostei do "Bundão" e "Palerma". Rss! Valeu a brincadeira!

Abraços,
w.m.carvalho

Angela disse...

continuando...
Todo poeta é pentelho,bundão e pateta
diz ele, com toda a razão.
Mas reconhece o senhor, e não eu
que nem sempre é poeta, todo pentelho, pateta ou bundão.

Abraços
Angela rs rs

Elisa Kozlowsky disse...

Muito bom.

Logo podemos pensar que alguns idiotas podem ser poetas, alguns patetas e mesmo alguns palermas.

Aetano disse...

Eu tb quero participar, de outro modo:

Senhor, admito a proposição:
nenhum poeta tem razão.
Mas quem o conhece consente:
só assiste razão ao que mente.

***

Grande abraço!

Aeta

Fred Coelho disse...

Cícero, aqui é Fred, lá do POP. Aí vai o link do meu blog, como prometi enviar para você:

www.objetosimobjetonao.blogspot.com

Grande abraço e até a próxima!

Anônimo disse...

Eis meu grão:

Sim,acato à regra geral:
todo poeta é um boçal!
mas nunca sem a que a completa:
nem todo boçal é um poeta!

Marcelo Diniz

wilson luques costa disse...

Prezado Antonio Cicero
Permita-me adentrar essa brincadeira.

Admito senhor
Tua geral regra

Mas mesmo o senhor
Desmente essa regra

Que poeta tolo

é -- pois nenhum tolo, porém,
dos tolos, poeta também.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Antonio! Olha, sinseramente eu nunca ouvi falar de tantos adjetivos dirigidos à figura do poeta, porém, se fizermos uma análise mais aprofundada, chegaremos a conclusão que: mesmo sendo plebe, palerma, bundão e pateta, o senhor na regra geral e eterna, sabe que isso não nos arreta, e o quanto é gostoso ser poeta.

Estive passando, avistei teu espaço, invadi,gostei e não resisti.

Abraços,

Furtado.

ADRIANO NUNES disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ADRIANO NUNES disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wilson luques costa disse...

Uma outra in-versão da livre traição.


Admito senhor
Tua geral regra

Mas mesmo o senhor
Confirma essa regra

Pois poeta tolo

É Assim nenhum tolo porém
Dos tolos poeta também

paulinho disse...

lindo, cicero! adorei todas as versões!

um beijo bom.

Erick Monteiro Moraes disse...

Cicero,

desculpe desenterrar a postagem, mas gostei do quarteto. Eis minha tradução:

Senhor, correta é sua regra geral
de que todo poeta é um tolo,
mas o senhor é a prova concreta
de que nem todo tolo é poeta.

Abraço,

Erick.