3.4.12

Adília Lopes: "Marianna e Chamilly"




Marianna e Chamilly

Quando partires
se partires
terei saudades
e quando ficares
se ficares
terei saudades

Terei
sempre saudades
e gosto assim



LOPES, Adília. Caderno. Lisboa: & Etc., 2007.

2 comentários:

Teresinha Oliveira disse...

Amor é assim mesmo, nunca se satisfaz. Sente-se falta até do momento que se foi, apesar de viver outros plenamente no presente. Imagino que Marianna e Chamilly sejam filhas da Adília, e se assim realmente o for, mais compreendo. Mãe é ser transbordante...

NelsonS disse...

Cícero:
Você me permite divulgar meu tumbrl aqui no seu espaço? O endereço é: http://nsantand.tumblr.com.
Também dedicado à poesia de qualidade, postei textos lá que eu não vi aqui.
Um abraço,
Nelson Santander
PS: parabéns pelo lançamento de seu novo livro. Já estou encomendando o meu.