20.10.10

Jacques Prévert: "Tant de forêts..." / "Tantas florestas": tradução de Silviano Santiago




Tantas florestas...

Tantas florestas arrancadas da terra
e massacradas
arrasadas
rotativadas

Tantas florestas sacrificadas para virar pasta
                                        de papel
milhares de jornais chamando anualmente a atenção dos leitores para os perigos do desmatamento dos bosques e das florestas.


Tant de forêts...

Tant de forêts arrachées à la terre
Et massacrées
Achevées
Rotativées

Tant de forêts sacrifiées pour la pâte à papier
des milliards de journaux attirant annuellement l´attention des lecteurs sur les dangers du déboisement des bois et des forêts


PRÉVERT, Jacques. Poemas. Introdução, seleção e tradução dos poemas por SANTIAGO, Silviano. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

6 comentários:

R. disse...

quando tudo acaba é só o começo?

O moço entra na escola com o santinho dobrado, guardado no bolso de trás. Dali a pouco vai pra cabine e põe o santinho à vista, para ampará-lo na escolha. Sai de lá com o papel amassado, metido de novo no bolso. Já não serve mais pra nada, mas não há onde jogar. Liga a noiva e dita a listinha, que ela o conhece bem. Ele ri, que tem papelzinho: pão, leite, café, mortadela, blá, blá... Compra e confere tudo, ajeita a sacola no braço e vai pro ponto esperar. Daí joga a lista na rua que não tem ninguém ali e uma só não há de aumentar. Repara no fim da rua que sobem nuvens ao céu e faz uma prece com fé: que não venham chuvas que inundam, não apareçam bandidos maus, a fome não mais exista, todos tenham casa e trabalho, os filhos sejam felizes, que a vida seja melhor!

[à moda de Julio Cortázar, quando fala do jornal]

Rosaura Soligo
http://chiarosscuro.blogspot.com/

Climacus disse...

seria bacana uma discussão franca e ampla sobre a vida, zôê, mas também bios. Sobre o argumento do jovem colunista, toda transa é uma promessa de vida, em sendo assim, religioso ou não, ele deveria ser contra qualquer método anticoncepcional.

homensdopantano disse...

paradoxais, de que são feitos os jornais? de papel - vão tudin´pro céu - arv´res pro beleléu

salomao disse...

LINDO !!!!
LINDO !!!!!
J AIME BEAUCOUP JACQUES PRÉVERT !!!!
TANT DE FORÊTS / TANTAS FLORESTAS.
ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE ENTRE DORES E CONQUISTAS.

JORGE SALOMÃO RIO 2010

Giammattey disse...

Como certas palavras/expressões desse poema o separam da linha tênue entre o simples e o simplório.

"arrancadas da terra"

"rotativadas"

"pasta de papel"

"chamando anualmente a atenção"

"para os perigos"

Danclads disse...

Os jornais são feitos de papel, cuja matéria-prima, celulose, é extraída de árvores. Assim, os jornais alertarem para o desmatamento seria como o assassino ir ao enterro da vítima.