29.10.10

Adriano Nunes: "Olvido"

Olvido

Esquece Helena
Esquece o mundo
Esquece a fundo
Esquece a pena

Esquece o verso
Esquece o susto
Esquece, é justo
Esquece emerso

Esquece mesmo
Esquece o rumo
Esquece o sumo
Esquece a esmo

Esquece a Grécia
Esquece a luta
Esquece-a! Custa?
Esquece a astúcia.

11 comentários:

Alcione disse...

Jardim

Eu pensei que
era sincero
Um pagão tão lindo
e belo
Com as mãos
Tecendo o labirinto
Mas sou mesmo eu que minto
Pela flor tão cara e rara
Navego, sonho
Tão logo o abandono
A se perder
Enquanto isso eu me acho
Num jardim que
Partiu de mim.

nydia bonetti disse...

Parece simples... Mas custa. Beleza de poema, Cícero. A poesia de Adriano Nunes é brihante. Gosto muito. Abraços.

sandra disse...

esquecer, para uma mulher, é mais que uma prova de amor.... é um suicídio quase...rsss
belo poema, Adriano. bela escolha Cícero.

www.sandrasantos.com

carmen silvia presotto disse...

Difícil apagar da memória o que lateja...olvidar-se para recordar, mais do que esquecimento é latejo para seguir vivendo.

Concordo Nydia, no simples está a escuta poética que ao dizer, diz e canta e transforma e cola e cai...feito a poesia de Adriano Nunes.

Beijos

Lisete de Silvio disse...

Há , mesmo, memórias que mereceriam ser eliminadas e nem deixar rastros.

Mas, e daí?

Algumas são já como nossa carne.

Complicado.

Marcone disse...

bom, muito bom!

ADRIANO NUNES disse...

Amado Cicero,


Estou ainda em estado de choque. Cada vez que um poema meu aparece aqui, fico, nem sei dizer ao certo,... plenamente orgulhoso! Grato! Por isso, tento fazer o melhor pelo poema sempre, porque o que é gratificante nessa vida é poder contribuir para que a mesma brilhe. E, além da Medicina, e mais além, sei que posso dar um brilhozinho, com os meus poemas.

Obrigado a todos os meus amigos e admiradores,


Abraço fraterno,
Adriano Nunes.

betina moraes disse...

observador,

mais uma vez um verso do querido adriano nunes trazendo admiração e beleza.

muito bonito, adriano,

parabéns pela construção.

obrigada, antonio cícero, por trazer.

beijos, aos dois.

Joca disse...

Há certos vidros de loção tão difíceis de serem abertos.Fica aquele olor, permanente fantasma aprisionado, a assombrar ainda ao meio do dia.
Bonito poema,amigo Adriano.

Rafael disse...

Os poemas de Adriano Nunes, são uma sintese da boa literatira, contada e cantada em lingua simples de muito bom gosto e com sentimentos a flôr da pele!
Saudações a todos que apreciam os sentimentos em formas escritas, uma otima semana a todos! :D

Juliano disse...

Eu viajo nos versos de Adriano Nunes! Como é bom voar!