16.10.08

Paul Eluard: "[Mon amour]" / "[Meu amor]"

[Meu amor]

Meu amor por ter figurado meus desejos
Posto teus lábios no céu de tuas palavras como
[um astro
Teus beijos na noite viva
E o rastro de teus braços em torno de mim
Como uma chama em sinal de conquista
Meus sonhos estão no mundo
Claros e perpétuos

E quando tu não estás
Sonho que durmo sonho que sonho




[Mon amour]

Mon amour pour avoir figuré mes désirs
Mis tes lèvres au ciel de tes mots comme un astre
Tes baisers dans la nuit vivante
Et le sillage de tes bras autour de moi
Comme une flamme en signe de conquête
Mes rêves sont au monde
Clairs et perpétuels

Et quand tu n'es pas là
Je rêve que je dors je rêve que je rêve



De: ÉLUARD, Paul. "L'Amour la poésie", In: Capitale de la douleur, suivi de L'Amour la poésie. Paris: Gallimard, 1964.

12 comentários:

QUEFAÇOCOMOQUENÃOFAÇO disse...

MEU POETA,

ADORO ESSA MÚSICA DO MIGUEL E A SUA LETRA É UMA PÉROLA... AOS POUCOS... PARA MUITOS!

MAIS SIMPLES
JOSÉ MIGUEL WISNIK


É sobre-humano amar
'cê sabe muito bem
É sobre-humano amar sentir doer
Gozar
Ser feliz
Vê que sou eu quem te diz
Não fique triste assim
É soberano e está em ti querer até
Muito mais

A vida leva e traz
A vida faz e refaz
Será que quer achar
Sua expressão mais simples

Mas deixa tudo e me chama
Eu gosto de te ter
Como se já não fosse a coisa mais
Humana
Esquecer
É sobre-humano viver
E como não seria?
Sinto que fiz esta canção em parceria
Com você

A vida leva e traz
A vida faz e refaz
Será que quer achar
Sua expressão mais simples


UM FORTE ABRAÇO!
ADRIANO NUNES, MACEIÓ/AL.

QUEFAÇOCOMOQUENÃOFAÇO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
betina moraes disse...

observador,

imagina que conheço alguns poetas que se recusam a falar de amor em seus versos?

tolice inútil,

o fato de ser poeta já é um dos exageros do amor!


paul éluard é um poeta que gosta de nos dar enredo e motivo,

são sempre versos com aroma e memória...

depois de um certo tempo no exercício contínuo do amor, não há como não identificar um nome próprio entre as linhas do verso dele.

muito bonito e de grande intensidade.

tradução sensível, no ritmo da "idéia" do verso.

muito bonito!

grande abraço!

Alcione disse...

Quando penso em teus olhos
meigos como o orvalho
me calo
Sinto a lágrima invadir
a página
quadro a quadro
estragando o papel
borrando tudo
confundindo as palavras
até mesmo
aonde me lavras.

Ana disse...

vc me lava a alma todos os dias.
ana lins
:)

QUEFAÇOCOMOQUENÃOFAÇO disse...

CICERO, MEU POETA:



TENHAMOS TODOS UM DELICIOSO DIA! E PARA QUE O DIA NASÇA COM ALEGRIA, UM POEMA DE MARIO QUINTANA, COM TODO O SEU HUMOR E SUA LEVEZA:


"O POEMA"





O poema é uma pedra no abismo,
O eco do poema desloca os perfis:
Para bem das águas e das almas
Assassinemos o poeta.






De: QUINTANA, Mario. In: O Aprendiz de Feiticeiro. São Paulo: Editora Globo, 2007.

QUEFAÇOCOMOQUENÃOFAÇO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arthur Nogueira disse...

Que lindo, Cicero. Nada melhor que poder dedicar versos como esses a alguém.

Saudade de você.
Beijo grande.

Mariano disse...

Prezado Adriano,
"Mais Simples" de José Miguel Winisk é realmente uma canção soberba, e a gravação em dueto com Ná Ozzetti emociona.
Grande lembrança!

Antonio Cicero disse...

Adriano,

envie-me uma postagem com seu e-mal. Não a publicarei, mas enviarei para você comentários sobre o soneto.

Abraço

Anônimo disse...

Longa vida ao Acontecimentos. Esse lugar é especial! Generosidade é atributo dos grandes.
Mariano

Luiz disse...

Lindíssima !