26.10.08

Giuseppe Ungaretti: "Allegría di naufragi" / "Alegria de naufrágios"

.


Alegria de naufrágios


E rápido retoma
a viagem
como
depois do naufrágio
um sobrevivente
lobo do mar



Allegría di naufragi

E subito riprende
il viaggio
come
dopo il naufragio
un superstite
lupo di mare



De: UNGARETTI, Giuseppe. Allegria di naufragi. Firenze: Vallechi, 1919.

2 comentários:

QUEFAÇOCOMOQUENÃOFAÇO disse...

CICERO,


BELO POEMA!



"DO LAR"





NA SOLIDÃO DA MINHA CASA,
TODA COISA ESTÁ ACOMPANHADA.



COLHER E PRATO, GARFO E FACA,
PORTA, MESA, TELEVISÃO,
JANELA,TAPETE,COLCHÃO,
SAPATOS, CADEIRA, SOFÁ,
ROUPAS, ESTANTE, CAMA, TAÇAS,
LEITE, SUCO, CARNE, CAFÉ,
ARROZ, BISCOITO, MACARRÃO,
TRAVESSEIRO, LENÇOL, PENELAS.



NA SOLIDÃO DA MINHA CASA,
SEMPRE É TUDO OU NADA: MINHA ALMA



DELIRA DE TÃO ABANDONADA!


ABRAÇOS!
ADRIANO NUNES, MACEIÓ/AL.

léo disse...

Após a tempestade, espreito o fogo.
Um maravilhamento me avassala.

Nada me consterna.
A tudo dou combate.

No tabuleiro das idéias, lanço o que perdi.
Me sinto exposto, virado o avesso, arrevesado.

Mais dia, menos dia, tudo é substituído.
Tudo tem seu tempo, seu fogo, seu fim.