22.10.08

Ezra Pound: "In a station of the metro" / "Numa estação do metrô"

.


Numa estação do metrô

A aparição desses rostos na multidão:
pétalas num galho molhado, preto.



In a station of the metro

The apparition of these faces in the crowd;
petals on a wet, black bough.



De: POUND, Ezra. "Poems of Lustra: 1913-1915". In: Personae. The shorter poems. Org. p. L. Baechler e A. W. Litz. New York: New Directions, 1990.

7 comentários:

Assionara Souza disse...

puts, eu adoro esse poema.
Nem que eu conheça tantos...

Mariano disse...

DICHTEN=CONDENSARE

QUEFAÇOCOMOQUENÃOFAÇO disse...

CICERO,


BELO POEMA! VÊ-SE CLARAMENTE A EXPRESSÃO DE UM DOS MOVIMENTOS MODERNISTAS AO QUAL POUND ESTEVE ASSOCIADO, "O IMAGISMO", BASEADO NA IDEOLOGIA DE T. E. HULME, ONDE A METÁFORA SERIA O CORAÇÃO DO POEMA.


UM FORTE ABRAÇO!
ADRIANO NUNES, MACEIÓ/AL.

Percino disse...

Belo poema, claro. Pound é um poeta (quase) incontestável. Só teria ficado com grilos na cabeça ao traduzir o último verso.

Delia disse...

Lindo. Imagem poéticas que nos salvam de abismos. Eu espero que me venham hoje, "pétalas em galhos pretos" e me transportem do metrô do meu mediocre dia.

Abraços, poeta.

Delia

QUEFAÇOCOMOQUENÃOFAÇO disse...

CICERO,



"O POEMA"




PAPEL TINTA
QUASE MUNDO



UNIVERSO
QUASE VÁCUO



O POEMA
SEMPRE TUDO.




ABRAÇOS!
ADRIANO NUNES, MACEIÓ/AL.

Elisa Kozlowsky disse...

metrô de sp.