1.4.07

Sophia de Mello Breyner Andresen: Traduzido de Kleist

Traduzido de Kleist


Dizem que no outro mundo o sol é mais
[brilhante
E brilha sobre campos mais floridos
Mas os olhos que vêem essas maravilhas
São olhos apodrecidos




De Livro sexto. Lisboa: Salamandra, 1985, p.39.

2 comentários:

Paulinho disse...

lindíssimo, cicero! e muito sábio.

adorei ler um poema da sophia aqui. espaço mais adquado não há.

grande beijo!

Leonardo disse...

O Kleist é uma figura sensacional. A tempestade sopra na voz dele. Interessante esse paradoxo: com que olhos vê o poeta, se os olhos estão apodrecidos? Como ele vê o sol mais brilhante? Com a imaginação? Se não são os olhos da Wirklichkeit, são os olhos da Phantasie, do Traums?