27.2.07

Nietzsche traduzido por Paulo César de Souza

Acabo de receber da Companhia das Letras um volume com as traduções, feitas por Paulo César de Souza, de O anticristo e Ditirambos de Dionísio, de Nietzsche. Ainda não as li, mas Paulo César de Souza é uma garantia de grande qualidade. Não conheço melhor tradutor de filosofia para o português.

10 comentários:

Jean Cristtus Portela disse...

Antônio Cícero! Acabo de encontrar o seu blog. Que bacana! Lembrei-me de duas ou três mensagens que trocamos há alguns anos, nas quais você, com a gentileza que lhe é habitual, tentava explicar-me porque Pound não era "tudo que havia". Desculpe-me esse erro grosseiro de "juventude". Abraços.

Juliano disse...

cícero, como vai? acho muito bacana voce escrever em um blog. com um pouquinho de ajuda, voce consegue que ele fique bem mais ajeitado, em relação a lay-out e funcionalidades. não faço este comentário para criticar e espero que voce não se desmotiva. só digo que com pouco, voce pode melhorar muito. grande abraço e boa sorte.

Lacques disse...

Nem eu.

JEMES MARTINS disse...

cícero, rapaz, procurei paulo césar de souza no google: qro uma entrevista com ele prum jornal de salvador. preciso do telefone. mas o melhor mesmo foi achar um seu blog. vou GUARDAR. até +... abraço

Antonio Cicero disse...

Caro Jemes,

Muito obrigado. Seja benvindo. Infelizmente, também não tenho o telefone do Paulo César, mas recomendo-lhe procurar na Companhia das Letras.

Um grande abraço,
Antonio Cicero

Mary disse...

Eu tenho o telefone de Paulo. Escreva pra o meu e-mail. Falarei com ele sobre isso.

maryweinstein@gmail.com

JEMES MARTINS disse...

ei, cícero, sim consegui o número do PCSouza. combinamos um encontro pruma entrevista q será um video. assim q sim te mando uma cópia um link o q for...

abraço poeta!

JEMES MARTINS disse...

ei mary,
desculpe, nem vi seu recado. a vida na rede é tem ainda mais desencontros do que os que viu vinicius.

mas 'brigado demais mesmo assim.

abraço forte

Fabio Rossano Dario disse...

É um grande privilégio ler um livro traduzido pelo Paulo César de Souza. Em "Humano, demasiado humano", da Cia. das Letras, ele não só faz uma excelente tradução, mas compara o original com outras sete traduções, três em inglês, uma francêsa, uma italiana e outra espanhola.

Anezio Fernandes disse...

Eu gosto muito das traduções dele!

Tenho comprado muitos livro do Nietzsche, e tenho mantido uma fidelidade quase que demoníaca à companhia das letras! Comprei todos os livrinhos lançados pela Companhia de Bolso (que é mais baratinha!) e agora vou ter que apelar às edições mais caras!

É gritante a diferença entre as traduções dele e a maioria das outras traduções para o português! Cheira a seriedade!