1.9.13

Elizabeth Bishop: "It is marvellous to wake up together" / "É maravilhoso despertar juntas": trad. Paulo Henriques Britto






"It is marvellous to wake up together"

It is marvellous to wake up together
At the same minute; marvellous to hear
The rain begin suddenly all over the roof,
To feel the air suddenly clear
As if electricity had passed through it
From a black mesh of wires in the sky.
All over the roof the rain hisses,
And below, the light falling of kisses.

An electrical storm is coming or moving away;
It is the prickling air that wakes us up.
If lightning struck the house now, it would run
From the four blue china balls on top
Down the roof and down the rods all around us,
And we imagine dreamily
How the whole house caught in a bird-cage of lightning
Would be quite delightful rather than frightening;

And from the same simplified point of view
Of night and lying flat on one’s back
All things might change equally easily,
Since always to warn us there must be these black
Electrical wires dangling. Without surprise
The world might change to something quite different,
As the air changes or the lightning comes without our blinking,
Change as our kisses are changing without our thinking.




"É maravilhos despertar juntas"

É maravilhoso despertar juntas
No mesmo minuto; maravilhoso ouvir
A chuva começando de repente a crepitar no telhado,
Sentir o ar limpo de repente
Como se percorrido pela eletricidade
Numa rede negra de fios no céu.
No telhado, a chuva cai, tamborilando,
E cá embaixo, caem beijos brandos.

Uma tempestade está  chegando ou indo embora;
É o ar carregado que nos desperta.
Se um raio caísse na casa agora, desceria
Das quatro bolas azuis de porcelana lá no alto,
Se espalhando pelo telhado e os para-raios a nossa volta,
E imaginamos sonhadoras,
Que a casa inteira, uma gaiola de energia elétrica,
Seria muito agradável, e nada tétrica.

E do mesmo ponto de vista simplificado
Da noite, e de estar deitadas,
Todas as coisas poderiam mudar com igual facilidade,
Pois por esses fios elétricos negros
Seríamos sempre alertadas. Sem surpresa,
O mundo poderá virar algo muito diferente.
  Tal como o ar muda ou o relâmpago cai sem piscarmos,
Como estão mudando nossos beijos sem pensarmos.




BISHOP, Elizabeth. Poemas escolhidos de Elizabeth Bishop. Seleção, tradução e textos introdutórios de Paulo Henriques Britto. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.



4 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Em tempos de "Flores Raras",
versos muito bem-vindos.

Luz13 disse...

Partilho as previsões de Aline, da Cidade das Pirâmides, para o ano de 2013. Impressionante como ela acertou!São três programas imperdíveis. Confira http://youtu.be/hJV1qZWTtF0 . Caso desejarem visitem também o Blog:
http://deolhonomundoblog.wordpress.com/ Abraços.

Fernando Campanella disse...

Maravilhoso poema, com desfecho como flecha certeira, e mágica.

Gostaria de ver o poema INSOMNIA, de Bishop traduzido.Não sei de o Paulo Henriques Britto o fez. È tão maravilhoso esse poema que às vezes fico tentado a traduzi-lo.

Um abraço, Cícero.

Anônimo disse...

Também não conhecia a autora...
como ja disseram aqui nos coments...
em tempos de flores raras, é sempre bom saber de outras que floreceram em outros tempos....
Bom Post!