10.1.13

Mario Quintana: "Emergência"






Emergência

Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
– para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.



QUINTANA, Mario. "Emergência". In: MORICONI, Ítalo (org.). Os cem melhores poemas brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

3 comentários:

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,


que poema lindo! Viva Mario Quintana!!! Grato por compartilhar essa pérola!!!


p.s. : Com certeza, você será o novo acadêmico. Que alegria saber da sua candidatura para ocupar a vaga do meu querido amigo Lêdo Ivo! Viva Cicero! Viva Cicero! Salve Salve!!!



Abraçaço,
Adriano Nunes

Carlos Souza disse...

A poesia de Mário Quintana é espetacular.
Parabéns pelo blog, Antônio Cícero!
Ficaria lisonjeado se você pudesse fazer uma visita ao meu humilde blog: www.janeladescoberta.blogspot.com .

Abraços.

Paulo Soalheiro disse...

Neste calor abissal que faz no Rio, a bela janela que este poema abriu dá direto no mar e proporciona mergulho, alívio e frescor imediatos!