21.8.12

Paulo Guedes: "Socialismo tardio"




O seguinte -- excelente -- artigo do economista Paulo Guedes foi publicado em O Globo na segunda-feira, 20 de agosto:


Socialismo tardio

“Presidentes que não saem do ar: Hugo Chávez, da Venezuela, Cristina Kirchner, da Argentina, e Rafael Correa, do Equador, usam redes nacionais de rádio e TV para impor sua visão”, informa O GLOBO de ontem em matéria que revela como arma política o “microfone estatal a serviço do poder”.

Estive em Cuba com minha família há apenas alguns anos. Fidel Castro era ainda presidente. Quando liguei a televisão no hotel e percorri os canais, o comandante estava em todos eles. Era ainda pior do que esse clássico sintoma de tiranetes em ascensão que se comunicam com frequência em cadeias nacionais de televisão.

Filmado em diferentes ocasiões, em longuíssimos discursos, fazia preleções para crianças em escolas, presidia reuniões políticas, exortava jovens em cerimônias de formatura universitária, recebia delegações políticas estrangeiras, em onipresente tentativa de lavagem cerebral.

Entusiasmante nos primeiros minutos, tolerável por meia hora e insuportável a partir de então. Chávez, a cuja visita pude assistir naquela ocasião, teve mesmo em Fidel um grande mestre.

Hoje sabemos todos que Lula não era Chávez. Mas nem todos sabíamos que o Brasil não é a Venezuela. O antigo procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza sabia. O atual procurador-geral, Roberto Gurgel, e o ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa também. Quem não sabia era a turma do mensalão.

Há quem, ainda hoje, acredite na concentração dos poderes políticos, na centralização administrativa, na estatização da economia e no controle da mídia como receitas adequadas para o Brasil. O equívoco intelectual tem nome: um exacerbado socialismo nacionalista.

Essa é uma estrada conhecida, trilhada à “esquerda” e à “direita” por regimes totalitários que infelicitaram milhões de seres humanos. Enveredaram por esse caminho as ditaduras de partido único da Itália de Mussolini, da Alemanha de Hitler, da Rússia de Stalin. O caminho da servidão.

“Mussolini foi antes de tudo um socialista. O ingrediente nacionalista foi também virulento. O fascismo italiano é, como o nazismo alemão, um nacional-socialismo”, diagnostica o insuspeito e lúcido Edgar Morin, em “Cultura e barbárie europeias” (2005). O socialismo bolivariano é a doença latina do século XXI.

7 comentários:

Nobile José disse...

por isso prefiro dilma a lula.

Cristiane disse...

A liberdade de expressão é o direito primordial da pessoa, que tbm deveria ter o direito à alimentação, escola, cultura, moradia digna... Mas parece que a classe média intelectual latinoamericana só pensa na primeira...

Antonio Cicero disse...

Cristiane,

Suponho que você seja burguesa ou proletária, pois, se for de classe média, então não está dizendo a verdade quando afirma que a classe média intelectual latinoamericana só pensa na liberdade de expressão, e não nos demais direitos.

De todo modo, a liberdade de expressão é um direito primordial mesmo, sobretudo porque a própria possibilidade de defender publicamente qualquer outro direito repousa sobre o direito à liberdade de expressão e, em particular, à liberdade da imprensa.

Assim, é estranho que, quando se denuncia o desrespeito desse direito em Cuba, na Venezuela etc., isso sempre seja denunciado por membros da classe média esquerdista da América Latina.

No que me diz respeito, simplesmente não é verdade sequer que eu ignore os demais direitos que você cita.

Em entrevista publicada em 04/07/2007, por exemplo, sustento que os direitos humanos “Devem incluir a garantia de um mínimo de condições dignas de vida a todos”.

Em artigo publicado em 22/02/2009, na Folha de São Paulo, afirmo, por exemplo, que

“O verdadeiro progresso jamais poderia estar em ignorar ou limitar esses direitos [os direitos humanos], mas sim em reconhecer que eles incluem, como quer Amartya Sen, direitos não apenas políticos, mas também direitos à segurança social, ao trabalho, à educação, à proteção contra o desemprego, à sindicalização e mesmo a uma remuneração justa e favorável”.

Em 16/06/2010, publiquei um artigo do Contardo Calligaris em que ele diz que

“o ARTIGO SEXTO da Constituição Federal declara que ‘são direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados’”.

Todos os meus artigos acima citados podem ser acessados aqui no blog.

Quando defendi esses direitos, não apareceu ninguém para me criticar, dizendo que eu ignoro a liberdade de expressão. Agora, porém, quando publico um artigo que defende o direito de livre expressão, aprecem membros da classe média esquerdista da América Latina para me dizer eu não penso nos outros direitos. Francamente...



Aetano disse...

Não deixa de ser enfadonho notar que a turma que sempre privilegiou - ou dizia privilegiar - a IGUALDADE, em detrimento da LIBERDADE, enxergue o mundo como um lugar onde é impossível compatibilizar aqueles dois valores, de modo que, para eles, quem fala em liberdade está, cinicamente, esquecendo da igualdade.

Eis o maniqueísmo, do qual as mentes tacanhas não conseguem se libertar! A tais bobos, eu recomendo Bobbio, que diz:

"Mas agrade ou não o discurso, a lógica da democracia é essa. Todas as liberdades são solidárias: uma puxa a outra, uma não pode existir sem a outra" ("As ideologias e o poder em crise", p. 92).

Bom, recomendei por recomendar, pois sei que Bobbio não é leitura agradável para quem ainda acredita em "socialismo".

Nesse ponto, cabe uma observação: Nietzsche advertiu para a morte de Deus e de seus sucedâneos, mas há quem só queira ouvir a primeira parte da advertência, nada obstante a perplexidade do sátiro:

"'Como será possível? Este velho santo, na sua floresta, ainda não soube que DEUS ESTÁ MORTO!'" ("Assim falou Zaratustra", p. 13)

Aeta

carlos disse...

Dizem que o Capitalismo discrimina e não tem justiça social...
Vejam o caso deste atual personagem da vida cotidiana brasileira: Joaquim Barbosa, mineiro de Paracatu. Para quem não conhece esta cidade, ela está encravada no noroeste mineiro, perto-longe de Unaí indo para Brasília, próxima a região do Grande Sertão Veredas do livro de Graciliano Ramos. Eu conheço, assim como Unaí e quase toda Minas. Esta região é longe de tudo. Região esta onde o Constantino "Nenê" de Oliveira dono do Grupo Áurea (entre várias empresas a Gol Linhas Aéreas) começou a fazer fortuna. Lá não existia (não sei agora) a lei, o homem a faz! Um Juiz do STF negro, nascido em uma região sem lei. A família são oito filhos, pai pedreiro e mãe dona de casa. Passou a ser arrimo de família qdo estes se separaram. Sempre estudou em colégio público, na época (ainda dos militares) os colégios públicos eram bons, administrados com seriedade. Hoje são administrados como fonte de corrupção. No seu tempo não tinha cotas sociais e raciais para o ingresso nas universidades públicas brasileiras. O estudante tinha que ser no mínimo bom e interessado, se fosse só bom e não tivesse interesse a fila andava. Um cara para vir do sertão de Minas e formar-se, tinha que ter muita vontade. Hoje se dá tudo...pão, circo, esmola e agora universidade isto sem ter um ensino de base condizente! Se fosse escrever sobre ensino escreveria muita coisa, mas como nem formado sou como posso escrever sobre ensino? Deixo para o Professor (este sim) Rubem Alves falar um pouquinho. O link do vídeo está embaixo para quem quiser "perder" um tempinho. Vamos falar mais um pouquinho do Joaquim (porque ficar falando do "levando 'um milhão' wski" é covardia, ficar falando do pt é covardia, do mulla então é bater em bêbado morro abaixo é covardia), ele é fluente em várias línguas, Professor na UERJ, Procurador da República e outras coisitas mais. Ele está dando um banho MAGISTRAL em toda sociedade socialista intelectualizada enrustida e discriminante brasileira! PARABÉNS JOAQUIM BARBOSA E VIVA O CAPITALISMO!

Vale lembrar que quem o indicou para o STF foi o mulla! Devia pensar que esta exceção fosse ser seu capacho! Burro este mulla hein! Exceções não se vendem!

Outro bom caso para se compreender o Capitalismo é estudar a China. Antes das empresas norte americanas por lá chegarem, (década de 1980) o salário mínimo do chinês era menos de US$ 10,00. Em 2010 o salário mínimo em Pequim era de US$ 140,00
Como faz mal este troço que Karl Marx inventou chamado Capitalismo né! Bom mesmo seria se a China fosse aberta...mas o seu dia chegará. Tudo que é duro e inflexível um dia se rompe ou quebra...Mas bom mesmo é o Socialismo de Cuba, da URSS, da Coreia do Norte.

Como bem disse Margaret Thatcher: "o socialismo dura, até acabar o dinheiro dos outros"!

Desculpem se falei demais. Vai o Link do Rubem Alves (o Professor que fala sobre educação)no Dossiê Globonews: http://globotv.globo.com/globo-news/globo-news-dossie/v/professor-da-unicamp-contesta-o-ensino-tradicional/2107811/

Gentil Martins do Santos disse...

(Já as digressões estão no ar, aqui vai mais uma, caro Cicero) Aqui entre nós, por favor, né meu caro, chamar um texto fuleiro deste de "excelente" é o mesmo que anular os teus textos, antes excelentes (embora discordando de suas ideias ingênuas -: francamente, ainda não percebe que o capitalismo liberal impossibilita os direitos que verbalmente defende?).

O texto "excelente" é ideologia pura. Qualquer pessoa minimamente bem informada o percebe ideológico, a serviço da "verdade geral" e lestabelecida". Daí da confusão nele: há tantos equívocos no texto que não há nem como apontá-los. O teu elogio Foi um lapso... Estou certo de nosso compromisso com a verdade, com o debate franco e aberto na busca de soluções para nossos dilemas, certo? Portanto, comecemos por contar a verdade, coisa que o texto não conta ao se colocar em nome da ideologia dominante incapaz de fazer o mundo fluir livre e humanamente... Meus deus, a supressão da vida nas sociedades capitalistas e utilitaristas é alarmante (é claro que o culto a personalidade nas sociedades ditas socialistas é uma desgraça, como também é o individualismo egoísta nas sociedades ditas liberais) -: olham para nossas cadeias, o numero de pessoas mortas e o número de pessoas ditas bandidas soltas por ai.

Ora, se reconhecermos que a liberdade de expressão é apenas uma das muitas dimensões da liberdade, e de forma alguma a mais importante, será preciso olhar para os avanços na pobreza alcançados nestes países equivocadamente chamados de "socialistas" - não acha?

Abc Cicero

Antonio Cicero disse...

Caro Gentil,

Nada justifica os atentados perpetrados pelos países socialistas contra a livre expressão do pensamento, a maximização da liberdade individual, a autonomia da ciência e da arte etc.

Num país em que essas liberdades existam, como no Brasil, é possível lutar por uma melhor distribuição de renda. E é possível conseguir isso. Hoje mesmo se lê nos jornais, por exemplo, que mais de 5 milhões de brasileiros deixaram a pobreza entre 2009 e 2011.

Já nos países em que as liberdades são sufocadas e domina um único partido, um único líder ou uma única religião, nada muda senão para pior. Se você duvida, leia a história da URSS, da China, do Cambodja ou da Coreia do Norte.