4.3.11

Pere Gimferrer: "Art Poètica" / "Arte poética"





Algo mais que o dom de síntese:
ver na luz o trânsito da luz.



Alguna cosa més que el do de síntesi:
veure en la llum el trànsit de la llum.





GIMFERRER, Pere. "Com un epíleg" (1980). Espejo, espacio y apariciones (Poesia 1970-1980). Madrid: Visor, 1988.

3 comentários:

Simone Couto Kaplan disse...

"Once a right to light exists the owner of the right is entitled to
"sufficient light according to the ordinary notions of mankind"

Colls v. Home & Colonial Stores Ltd (1904).

Abrçs,

Alcione disse...

A cor
Em seus sete sentidos
Trazem uma a uma seu valor
Enquanto a lua fria trafega
No imenso céu azul
Verde, amarelo, rosa
Por entre os postes sobre a rua
Vejo o amanhecer
Amalgamado no ser
Futuro
Puro
Desse teu ser.

jchaui disse...

ARTE POÉTICA

NO INICIO NAO É O VERBO
UMA IDEIA
ARRASTADA QUE NEM PEDRA
DE SÍSIFO
ACIMA DA PRÓPRIA IDEIA
PENSAMENTO
PENSAMENTO EM PALAVRAS
OU SERIAM PALAVRAS EM PENSAMENTO?
A ROLAR MONTANHA ABAIXO
EM RITMO
EM LETRA
EM SOM
EM NADA!
MAS LEVANTA-TE HONRADO
SE EM VÃO FOI O SACRIFÍCIO
TAMBÉM O SÃO TODOS OS OSSOS
SEJA LÁ QUAL FOR O OFÍCIO
SEGUES
CAÇA DE NOVO TEUS PENSAMENTOS
TEUS MUNDOS QUE VIRARAM PALAVRAS
LEMBRAS DAS QUE COBRIRAM PARNASO?
MIGALHAS!
TODO AMOR DO MUNDO CARREGADO COMO DOR
TODO AMOR DO MUNDO CARREGADO COMO FLOR
TODO SIGNO
TODO SENTIMENTO DO MUNDO
TUDO CERTO
TUDO ERRADO
TUDO CERTO E ERRADO
ESPALHADO
TATEIA COMO CEGO AS PALAVRAS
PARA JUNTAR-LHES ALGUM SENTIDO
COLHES AINDA TODAS AS PEDRAS
ÉS EDUCADO
ÉS DISCIPLINADO POR ELAS
EM SOM
EM LETRA
EM RITMO
PURO SIGNO

O HOMEM TEM MESMO QUE TER OS OMBROS MUITO LARGOS
PRA CARREGAR EM NOVO ARRANJO,
TUDO DE NOVO
QUE FARDO! QUE LOUCO!
E NOVAMENTE ACIMA
ENCONTRAR SENTIDOS
NO MITO QUE NÃO SE FINDA

(SÓ ASSIM O MITO CONTINUA MITO
SÓ E ASSIM A POESIA CONTINUA VIVA)