1.9.15

Arnaldo Antunes: "nada"








nada
com um vidro na frente
já é alguma coisa


nada
com um vento batendo
já é alguma coisa


nada
com o tempo passando
já é alguma coisa


mas
não é nada









ANTUNES, Arnaldo. "nada". In:_____. agora aqui ninguém precisa de si. São Paulo: Companhia das Letras, 2015

3 comentários:

léo disse...

ROMANCE

Sou um poeta de romances sem leitura
de momentos sem palavras
de olhos, bocas e narizes expressivos
de meninas sem destino
e carícias sem paixão.

Romântico
a poesia sem palavras
deita em mim seu pavilhão.

Alcione disse...

tudo
a vida em demasia
tudo
o vento em rebeldia
tudo
o calor da noite
a vela acesa
o mundo completo faltando
tudo
esse teu olhar
o medo de achar
tudo
e se esborrachar
pelas ondas do mar
e continuar apesar de
tudo

Nobile José disse...

nada
com o pensamento pensando
já é alguma coisa

;)