26.4.13

Lêdo Ivo: "Esperando a alvorada"







Esperando a alvorada

O pensamento é nada e o canto é tudo.
E toda vez que penso fico mudo
sem poder dizer nada ou dizer tudo
que se oculta no nada em que me penso
quando penso e sou nada, sendo tudo.





IVO, Lêdo. Aurora. Versão bilingue, traduzida para o espanhol por Martín Lopez-Vega. Madrid: Editorial Pre-Textos, 2013.

4 comentários:

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,

obrigado por postar tão belo poema do meu amado amigo Lêdo Ivo! Salve! Salve!


Abraço forte,
Adriano Nunes

Erick Monteiro Moraes disse...

Ótima escolha, Cicero. Filosófico!

Um poema meu:

CHUVEIRO

A cascata se molda
ao que molha
— casca d'água —
se fazendo asa
do nariz a almofada
da boca sobre boca
beijo desemboca
queixo peito umbigo

Põe a mão na minha mão
abre as cortinas
e escorre a mão pelo esconderijo atrás da cachoeira
que a geleira (monstro rijo)
se desfazendo rio

Sobre o ladrilho
um ladrilho d'água
ralo em redemoinho
e a escuridão do nada.

milton disse...

ledo? quem ledo, ivo
quem lê sobre as paredes
e quem escuta os cânticos do dia?
um ivo, ledo, em plena voz de canto
um passarinho que canta e que convence!
a voz de espanto
do vento que o levanta
e o eterniza em canto e firmamentos
que ledo engano prantear quem não mereça
só um ledo ivo merece que o cantemos!

Momentos Desiguais disse...

Estou adorando aqui, obrigada pelas belas postagens!