8.2.13

Eucanaã Ferraz: "Recebei as nossas homenagens"






Recebei as nossas homenagens

Único homem acordado nesta noite, o apartamento
apertado parece imenso; vagueio desacordado de tudo
e sobretudo em desacordo comigo, único homem
acordado no mundo; o teatro estreito assim vazio

parece largo, perambulo absoluto, príncipe estragado;
não dormir é meu palácio; a Dinamarca, diminuta,
parece dilatar-se enquanto palmilho o ar do quarto.
Vem o dia, e o fantasma de meu pai não me aparece.




FERRAZ, Eucanaã. Sentimental. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

2 comentários:

Leonardo B. disse...


[estreitos e robustos,

palmo a palmo, os caminhos do mundo.]

um imenso abraço,

Lb

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,
Ao ler esse belo poema, senti-me o próprio Hamlet. Salve Eucanaã Ferraz!


Abraço forte,
Adriano Nunes