3.2.13

Carlos Drummond de Andrade: "Canção amiga"







Canção amiga


Eu preparo uma canção

em que minha mãe se reconheça,
tôdas as mães se reconheçam,
e que fale como dois olhos.

Caminho por uma rua
que passa em muitos países.
Se não me vêem, eu vejo
e saúdo velhos amigos.

Eu distribuo um segrêdo
como quem ama ou sorri.
No jeito mais natural
dois carinhos se procuram.

Minha vida, nossas vidas
formam um só diamante.
Aprendi novas palavras
e tornei outras mais belas.

Eu preparo uma canção
que faça acordar os homens
e adormecer as crianças.

      ANDRADE, Carlos Dummond de. Poesia 1930-62. Edição crítica. GUIMARÃES, Júlio Castañon (org.). São Paulo: Cosac Naify, 2012.

3 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Muito bonito o conteúdo dessa poesia de Drummond...mesmo que a leia mil vezes, uma aprendizagem diferente!

Abraço do Pedra

Nobile José disse...

o tempo nos leva a lugares imprevistos
vemos ele nos passar
e o rastro dos seus viscos
se ontem estive ali
agora não arrisco
dizer de amanhã, e de depois
e mais não digo

Ana Cristina Penov disse...

Amo "Acontecimentos". Nunca me arrependo de procurá-lo.