11.1.12

Ferreira Gullar: "Off price"




Off price

Que a sorte me livre do mercado
e que me deixe
continuar fazendo (sem o saber)
                 fora de esquema
                 meu poema
inesperado


                e que eu possa
                cada vez mais desaprender
                de pensar o pensado
e assim poder
reinventar o certo pelo errado


GULLAR, Ferreira. Em alguma parte alguma. Lisboa: Babel, 2010.

4 comentários:

la mariée disse...

Bom dia, acompanho com atenção seu blogue. Envio-lhe o contacto de um blogue, novo, de poesia: Les cahiers de la mariée. Será mais um, ou talvez não. É um projecto comprometido e iconoclasta. Um trabalho de autora. Não tem imagens, ou divagações. Agradeço a divulgação, se achar que vale a pena.Desde já, obrigada.
M. de Campos

http://lescahiersdelamariee.blogspot.com/

Deacordo disse...

Nuamente direto.

Alcione disse...



Aí já também
Não
Não dá mais prá ficar
Aqui
Não, me re conheço
o que
É longe de ti
Que eu conheço
O que sou desde que
Me reconheci
Meu desejo está
Muito longe daqui
Isso eu sonhei e vi.

Sammis Reachers disse...

O sempre excelente Gullar... Seria Gullar O Sobrevivente? Doce é visitar esta página, saborear a seleta rica e sempre vivaz.

aproveito para deixar o link do Mar Ocidental, blog de poesia, traduções, ensaios, resenhas e crítica. Trinte séculos de poesia transcorridos e transcorrendo...
http://marocidental.blogspot.com

Um fraterno abraço do Sammis Reachers