27.12.09

Abu Muhammad Ibn Sara as-Santarini: "Muchacho de ojos azules": original árabe; tradução castelhana por Teresa Garulo




O poeta andaluz Abu Muhammad Ibn Sara, chamado "as Santarini" por ter nascido em Santarén, viveu entre os séculos XI e XII. Como não leio em árabe, somente conheço sua poesia na -- bela -- tradução castelhana de Teresa Garulo. Eis um exemplo dela:



Muchacho de ojos azules

Es un joven esbelto, sobre cuya túnica
veo alzarse una luna
brillando en un cielo de perfecciones.
Ha sentenciado a nuestros corazones
la recta lanza de su cuerpo
donde reluce el hierro de sus ojos azules.



Rapaz de olhos azuis

É um jovem esbelto, sobre cuja túnica
vejo alçar-se uma lua
brilhando num céu de perfeições.
Sentenciou nossos corações
à reta lança de seu corpo
onde reluz o ferro de seus olhos azuis.



IBN SARA as-SANTARINI, Abu Muhammad. Poemas del fuego y otras casidas. Recopilación, edición, traducción y estudio de Teresa Garulo. Madrid: Hiperión, 2001.

4 comentários:

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,

Que encanto! Que imagens lindas! Salve!

Grato por compartilhar esse tesouro!


Um poema novo:

"Para criar um tempo diverso" - Para Betina Moraes.

Aquela palavra faltava
Pra criar um tempo diverso.
Sangrava a vida do meu verso:
Corte fundo na veia cava

Do mundo mágico de um vate.
De que valeria a alegria
Se nada mesmo vingaria
Fora do papel? Que a resgate

A procura infinda na Língua!
Página a página, sem medo,
Sem temer o porvir, à míngua,

Fugir de todo labirinto
Da dúvida e perguntar: Cedo,
Às pressas, ao que só pressinto?

Grande abraço,
Adriano Nunes.

Jefferson Bessa disse...

Cícero, como é bom ler esses corpos que reluzem assim azuis.

Um poema que escrevi:

ficar na cama com o calor
e ter o corpo sem envergadura

arrastar todo meu rosto ao suor
na nudez rasa de seu músculo

fluir sempre devagar por entre pelos
venerados na linha reta das curvas

estar alinhado como verso
entrelaçado em pernas volumosas

olhar a tarde em névoa quente
e deixar-me escorrer por mãos

atentar ao corpo em pouco raciocínio
como simples calor a pele sente

um abraço.

Jefferson

vários um disse...

Afrodite toma conta deste blog!

Alcione disse...

Na pousada do destino
Feito um menino
Vez ou outra
Opacas linhas
Tracejam no deserto
Magnético madrigal
Ondas quentes
Centelhas da mente