29.7.13

Francisco Alvim: "Argumento"






Argumento


Mas se todos fazem







ALVIM, Francisco. "Elefante". In:_____. Poemas. 1968-2000. São Paulo: Cosacnaify; Rio de Janeiro: 7 Letras, 2004.

3 comentários:

Alcione disse...





E se passavam por nós em nós
Se desatavam os nós por nós
E se considerava ser por vós
Herdeiros do nada.

Flavio disse...

Interessantíssimo!
Uma frase que teria pouco potencial poético, vamos dizer assim, adquire grande densidade ao brilhar autonomamente como verso único de um poema. É claro que isso também é possível pelo contexto (eu, pelo menos, não consigo não pensar no PT mensaleiro...), mas essa ordenação na página, o fato de ter um título, um autor, isso nos obriga a ler a frase como verso, isto é, com calma e profundidade.
Gostei também do fato de não ter pontuação... Aliás, que pontuação seria possível?

Lucas Lisboa disse...

Flávio,

Repare bem a data de nascimento e morte do poeta.
A corrupção que ele denuncia com tanta propriedade é aquela acintosa dos governos anteriores ao PT. Corrupção esta que pela primeira vez está saindo de debaixo do tapete.