20.5.13

Lêdo Ivo: "O ganhador"






O ganhador


Tudo o que ganhei se desfez no ar como uma metáfora.
Agora só guardo o que perdi:
O vento que soprava na colina
A neve que caía no aeroporto
E o teu púbis dourado, o teu púbis dourado.

    Ivo, Lêdo. "O rumor da noite". In:_____. Poesia completa. 1940-2004. Rio de Janeiro: Topbooks, 2004.

2 comentários:

Erick Monteiro Moraes disse...

CACTO

Este cacto é obra
do acaso não fosse
meu hábito
de habitar areias brancas

Por isso não é rosa
o espinho cáqui
que ao contato
a carne recusa e espanta

Atravessando intacto
o seco deserto
dos séculos
sem sair do lugar

o cacto somente
se assenta
e aguarda
o mundo mudar

E não importa se muda ou se-
mente mas se em si guarda
a água que mata
a sede silente dos nômades.

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,


que poema belíssimo! Grato por compartilhar! Salve Lêdo Ivo!



Abraço forte,
Adriano Nunes