26.10.11

O ENEM falha novamente




A Questão 120 do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) dizia respeito à interpretação do meu poema “Guardar”. Lamentavelmente, a autoria do poema foi atribuída a Gilka Machado...

13 comentários:

Roberto Bozzetti disse...

Cícero meu caro,

que horror, que incompetência, que desalentador...

um abraço.

Arthur Nogueira disse...

mas que erro imperdoável!

fred girauta disse...

lamentável!!!
isso diz muito a respeito da situação da educação no país.

Coisa-negócio disse...

E é esta mesma prova que vai avaliar os estudantes!

"Que ano é hoje Brasééél?"

Cassionei Petry disse...

Como confiar numa prova dessas!

João Renato disse...

Credo, essa foi demais.
Como é possível uma prova dessas não ter uma revisão decente ?
Se fosse um poema da Adalgisa Nery que acabou creditado à Gilka Machado, ainda dava, pelo menos, para entender a ponte do erro.
Imperdoável; tanto a falha quanto o tamanho dela.
JR.

Nobile José disse...

espantosa a desproprção entre a pretensão do enem (de ser uma mega prova nacional para avaliar todos no país ao mesmo tempo, de moda a confirmar o lema: "nunca antes na histeria desse país") e os erros grosseiros - pq não dizer amadores - como esse agora apontado.

só tenho uma palavra: irresponsabilidade.

qto ao vazamento, até entendo, porém não justifico, dada a prórpia magnitude da execução de uma empreitada desse porte.

já o erro de revisão, esse não dá pra passar. foi desleixo, sim.

Felipe Garcia disse...

E esse poema seu está na célebre antologia "Os cem melhores poemas brasileiros do século", organização de Italo Moriconi - quer dizer - mesmo que eles não conhecessem seus livros - poderiam, no mínimo, recorrer a essa antologia (como milhares) para pode pautar e validar dignamente o trabalho de um poeta. Citar um poema já é difícil em qualquer lugar, fico imaginando... Machado de Assis louco correndo para tipografia por causa de uma letra - e errar a autoria de um poema? Nos tempos de hoje! Nunca fiz nem gostei do enem - quando vão tratar o poema, como o foi no caso de um soneto de Cláudio, perguntaram ao que o poeta se referia, o vocativo; resposta: Montanha. E o poema? Sans Parole.

* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ADRIANO NUNES disse...

Cicero,

Que absurdo!!!! Que horror!!!! Ainda querem avaliar alguém com essas provinhas!!! Que hipocrisia escancarada!


Fiz esse poema para o Mariano após ler isso aqui, pois trata-se do estudo, da arte e da razão:

"hemisfério" - Para José Mariano



abasteça
a cabeça

ponha peça a
peça, impeça

que a cabeça
permaneça

só cabeça,
osso, couro,

logradouro
sem tesouro,

véu vindouro,
grave agouro,

triste touro
morredouro,

sumidouro.
a cabeça?

abasteça-a
bem à beça,

enriqueça-a
emil, eça,

mude-a, meça-a,
emudeça:

reconheça-
a luz, ouro!


Abraço forte,
Adriano Nunes

Paulo Rafael disse...

Absurdo e brasileiro.

Alcione disse...

esse erro é inaceitável para o mundo civilizado, porém não há como negar o avanço, parabéns poeta! sua arte reconhecida, basta eles darem o nome certo, pequeno detalhe..., a galera precisa divulgar esse poema com o autor certo nas redes sociais, postes e alambrais!
Abraço!

Edgley disse...

Que absurdo!

Isso evidencia bem o desprezo pela literatura e pelos nossos poetas.