17.10.11

Marcel Proust: de "Du côté de chez Swann"

Observação de Swann, em conversação:

"O que lamento nos jornais é que nos fazem prestar atenção todos os dias a coisas insignificantes, enquanto lemos três ou quatro vezes na vida os livros em que há coisas essenciais".




PROUST, Marcel. "Du côté de chez Swann". In:_____À la recherche du temps perdu, vol.1. Paris: Pléiade, 1964.

5 comentários:

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,


Este é o poema definitivo:


"a palavra bruta" - Para João Cabral de Melo Neto



essa brusca busca,
pesada, à procura
do nada, a palavra
feito brasa, pura,
por que mais se ofusca

quando a quero, justa-
mente à frente, cúmplice
do tempo, pensada,
feito chama, augusta,
súdita, em rascunho,

quando a quero, justa-
posta, rente, pública,
sem entrave, súbita
tal faísca, mágica,
sem mancha, rasura?

por que me seduz
essa estranha luz,
inefável mundo -
a palavra bruta -
pra lançar-me à culpa-

lapso, sobre tudo?
o olvido profundo
de si - qual palavra
intacta - sem justa-
posição, que assusta.

essa única luta,
penada, à procura
do nada, a palavra
feito bruma, plúmbea,
por que mais se oculta

quando a quero, justa-
posta, à frente, múltipla,
moderna, moldada,
feito charge, avulsa,
sulfúrica, súplica,

quando a quero, justa-
mente, réstia, púrpura,
sem estorvo, supra-
sumo, sonho, sútil,
sem mácula, adubo?

a que me conduz
essa estranha luz,
infindável mundo -
a palavra bruta -
pra lançar-me ao surto-

eclipse, sob tudo?
o olvido profundo
de si - qual palavra
inútil - sem justa-
posição, me assusta.


Abração,
Adriano Nunes

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Que 'tudo' esse comentário!!! Tanta inutilidade nos jornais...

João Renato disse...

Cícero,
Isso nada tem a ver com a postagem.
Eu comprei a antologia do Vinícius organizada por você e o Eucanaã, e senti falta do poema Copacabana.
Ele deixou de entrar no livro por uma avaliação estética ?
Abraço,
JR.

Antonio Cicero disse...

João Renato,

sim. Os poemas foram todos escolhidos por uma avaliação estética. Mas nenhuma seleção particular satisfará a todo o mundo, e suponho que você não concorde com a nossa avaliação de "Copacabana".

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Por isso há muito troquei os jornais pelos (bons) livros..