1.5.08

Pedro Salinas: "El zumo / O sumo"

Pedro Salinas


El zumo

¡Tan visible está el secreto!
¡Tan alegre,
Tan alegre,
colgando al aire!
Le ven todas las mirada,
y le sopesan los vientos;
los chiquillos le conocen
y gritan: "Mirad, un secreto.
¡Dámelo! Si parece una naranja."

Pero el secreto defiende,
invisible amarga almendra,
su mañana, su secreto
mayor, dentro.
Lo que da son disimulos,
redondos, color, rebrillo,
solución fácil, naranja,
a la mirada y al viento.



O sumo

Tão visível está o segredo!
Tão alegre,
suspenso no ar!
Vêem-no todos os olhares
E o sopesam os ventos;
Os miúdos o conhecem
e gritam: “Olha, um segredo.
Me dá! Parece uma laranja.”

Mas o segredo defende,
invisível amarga amêndoa,
sua manhã, seu segredo
maior, dentro.
O que dá são dissímulos,
redondeza, cor, rebrilho,
solução fácil, laranja,
tanto ao olhar quanto ao vento.

2 comentários:

leo disse...

Miterioso poema, esse... por um lado, parece non sense. Por outro, um segredo, propriamente. Uma beleza oculta na casca, como a polpa de uma fruta. Não é à-tôa que não foram feitos comentários a ele, na quantidade em que habitualmente se faz. Quem é o poeta?

Antonio Cicero disse...

Pedro Salinas é um poeta espanhol da primeira metade do século XX. Tem poemas aparentemente muito simples, mas, no fundo, misteriosos.
AC