21.9.07

Nelson Ascher: Mais dia menos dia

MAIS DIA MENOS DIA

Coágulos de perda
de tempo, adiamento,
atraso e espera, ou seja,
minúsculas metástases

de caos se interpõem entre
— irrelevante qual
dos dois corre na frente —
a tartaruga e Aquiles

(o débito na conta;
no trânsito, a demora;
um ácido no estômago;
frente ao correio, a fila;

o mofo no tecido;
nos músculos, a inércia;
cupins na biblioteca;
sob o tapete, o lixo;

um óxido no ferro;
nas pálpebras, o sono)
e, como que aderindo,
à guisa de entropia,

ao âmago dos nervos,
embotam mais um pouco
o ritmo do arraigado
relógio biológico.


De: ASCHER, Nelson. Algo de sol. São Paulo: Editora 34, 1996, p.51-52.

3 comentários:

Ana Maria disse...

bonito!

abraço Cícero!

Caetano Fabro disse...

Cínico e contemporâneo. Assustadoramente necessário...

Lucas Nicolato disse...

muito belo.