28.8.07

Emiliano Battista fez uma bela versão inglesa do meu poema Perplexidade. Ei-la:


PERPLEXITY

Not sure just where I lost my way,
Or whether I lost it at all.
Still, I can't help thinking it odd
That this had always been my lot.



PERPLEXIDADE

Não sei bem onde foi que me perdi;
talvez nem tenha me perdido mesmo,
mas como é estranho pensar que isto aqui
fosse o meu destino desde o começo.

De: CICERO, A., A cidade e os livros. Rio de Janeiro: Record, 2002, p.67 (ed. portuguesa: Vila Nova do Famalicão, Quasi, 2006, p.45).

Um comentário:

Sônia Barros disse...

Caro Antonio Cicero

Perplexidade é o que sentimos diante de sua poesia: carícia e inquietude na carne, no cerne da mente e no coração.
Parece piegas, mas é o que sinto.
E é muito.

Com admiração,
Sônia Barros