27.1.15

Susana Moraes




Minha amiga queridíssima, Susana Moraes, faleceu hoje. É terrível. Nunca conheci ninguém mais admirável do que Susana. Não sei nem o que dizer, mas resolvi postar aqui a letra que, a partir de uma melodia de Adriana Calcanhotto, fiz e dediquei a ela:



INVERNO
                                                         Para Suzana Morais

No dia em que fui mais feliz
eu vi um avião
se espelhar no seu olhar até sumir

de lá pra cá não sei
caminho ao longo do canal
faço longas cartas pra ninguém
e o inverno no Leblon é quase glacial.

Há algo que jamais se esclareceu:
onde foi exatamente que larguei
naquele dia mesmo o leão que sempre cavalguei?

Lá mesmo esqueci
que o destino
sempre me quis só
no deserto sem saudades, sem remorsos, só
sem amarras, barco embriagado ao mar

Não sei o que em mim
só quer me lembrar
que um dia o céu
reuniu-se à terra um instante por nós dois
pouco antes do ocidente se assombrar.



                      Susana e eu, não me lembro quando

7 comentários:

Anônimo disse...


Não sabia, liguei agora o computador. Eu já comentei aqui que este é, para mim, um dos mais lindos poemas de sua autoria. Um dos mais belos poemas do século XX. Escrevi tudo isto no ano passado.
E... Força Cicero.
Força, e amor. Força para continuar, força para os familiares, para a companheira Adriana, e demais amigos da Suzana. Ela lutou até o fim. E amor, porque dele Suzana foi gerada, e com ele, ela soube traçar o seu caminho.
Arsenio Meira Junior

Antonio Cicero disse...

Muito obrigado, Arsenio.
Abraço

Bela Campoi disse...

Nossa, adoro essa canção! Surpresa: não sabia que o poema era seu. Te desejo acalanto nesse momento triste.

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,

O amor é uma alegria. Mesmo nos momentos de dor mor, o amor não perde esse seu sinônimo: então, receba o meu amor, que o meu amor por você e Adriana conforte ambos!

Abraço fortíssimo,
Adriano Nunes

Arthur Nogueira disse...

querido,

que foto linda! desejo força e paz nesse momento tão difícil. para o que precisar, sabe que pode contar comigo.

beijos,

arthur.

POETA DE RUA disse...

Sou uma apaixonada pelos seus poemas há muito.... Quando, nos anos 90, tive o primeiro contato com as músicas de sua irmã, conheci letras suas e me encantei... Essa, Inverno,já me embalou inúmeras vezes. Sabia que era sua, mas não sabia que era para Suzana. Lindo gesto!!! Abraço.
Roze

Antonio Cicero disse...

Obrigado, Roze!
Beijos