27.8.10

Antonio Machado: poema XXX de "Proverbios y cantares"

XXX

Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante no hay camino
sino estelas en la mar.

XXX

Caminhante, são teus passos
o caminho e nada mais;
Caminhante, não há caminho,
faz-se caminho ao andar.
Ao andar se faz caminho,
e ao voltar a vista atrás
se vê a senda que nunca
se voltará a pisar.
Caminhante, não há caminho,
mas sulcos de escuma ao mar.




MACHADO, Antonio. "Proverbios y cantares". Poesías completas. Madrid: Espasa-Calpe, 1983.

10 comentários:

nydia bonetti disse...

[... trilhas

que a mata densa e invasiva
da vida cotidiana

encobre lentamente

Alcione disse...

Caixeiro viajante

Não ter destino
Ser só uma folha no olhar
O caminho traçado
Na beira desse mar
Lanço-me de cabeça
E por favor, esqueça
Se eu nunca mais voltar
Não quero esse carinho
Não quero esse redemoinho
Não quero o desencanto
Que a vida me cobre tanto
Sou caixeiro viajante
De agora em diante.

ADRIANO NUNES disse...

Cicero,

meu poema mais recente:


"instante"

pequeno ou
gigante,

o instante
não teme

aqui
estar.

ai, falta um
segundo

pra o fim
do frêmito

do adeus
à deusa

Metáfora!
o instante...

gratuito,
eterno,

rebento
do cérebro.


A. Nunes.

Letícia disse...

Inspirador...

João Renato disse...

Cícero,

Lembrei-me do Gullar dos Poemas Portugueses.
"Caminhos não há.
Mas os pés na grama
os inventarão."
Abraço,
JR.

carmen silvia presotto disse...

Esse poema de Antonio Machado deveria ser emoldurado em todas as esquinas da vida, e classes de Escolas, ele é genial!

Um beijo

Mariano disse...

A tradução enriqueceu o término do poema.

Ana Cristina Penov disse...

Adorei!

leo gonçalves disse...

Cícero,

Que beleza de tradução.
Sempre gostei muito deste poema e ao tentar traduzir tive a impressão de estragá-lo em meio à semelhança das duas línguas.
Abraço,
Leo.

Antonio Cicero disse...

Obrigado, Leo!

Abraço